Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Uma chatice.

Sexta-feira, 28.12.18

O Marcelo (o Presidente) cumpriu o prometido.

O presidente.jpg

Assim, ontem (antes do dia 28, como prometido) não promulgou o decreto do governo relativo ao tempo de congelamento de salários dos professores (salvo erro traduzido pelo número quase-informático e próprio de uma nebulosa de 9A3M2D).

Teve assim, a gratidão de todos eles: professores, sindicatos, as oposições contra-costa.

Gratidão .jpg

Mas, pergunto eu, esse congelamento só atingiu os professores? E os outros funcionários públicos (médicos, juízes, polícias, gêeneerres e múltiplos etecetera) não? Parece-me que sim e se sim é uma enorme bola de neve, uma caixa de Pandora cuja abertura será o fim das “glórias” do iluminado e louvado Centeno.

Não me venham com os exemplos da Madeira e dos Açores porque, no que diz respeito a despesas do Estado, são uma pinga.

Rasgar notas.jpg

E depois, porque não nos podemos ficar por aqui no meio das notícias recentes, o Sr. Costa apercebeu-se (ou ele é burro ou faz-se o que é menos lastimável) que as consequências do desastre da assassina estrada de Borba são da responsabilidade do Estado. Parece-me, desde a primeira hora, que é evidente que sim, que é uma responsabilidade do Estado. Ou será que o Sr. Costa não sabe que as autarquias são organismos do Estado (como me foi ensinado nas aulas de Organização Política nos meus tempos de liceu)? Só não o são, indiscutivelmente e por exemplo, as do Iraque.

O Sr. Primeiro Ministro, Costa de seu nome, trata os cidadãos como um conjunto de parvos. Rasga ou faz que rasga despesas inadiáveis.

Uma chatice.

Chato.png

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por alea às 17:05

A queda do helicóptero.

Sexta-feira, 21.12.18

Helicóptero.jpg

“Srª D. Anica? Sr. Queiróz! Onde ides vós? Ao campo d´aviação ver o aeroplano subir ao ar. Deve ser um espectáculo soberbo mas eu cá não me atrevo a ir lá assistir porque quando começa a subir toda a gente começa a fugir e eu cá tenho medo!”.

Era assim que se cantava numa revista do Parque Mayer de há uns bons 60 anos.

- Srª D. Anica caíu o helicóptero.

- Mas porquê Sr. Queiróz?

- Ai isso não sei, só sei que o socorro levou demasiado tempo a chegar.

- Sr. Queiróz isso merece um inquérito!

- Mas, D. Anica, e se não houver ninguém para salvar, isso interessa

  para o caso? Porque é que caíu? Isto sim é muito importante.

- Ai isso não sei, Sr. Queiróz, mas, como disse o nosso querido

   presidente Marcelo, o que interessa é a segurança dos cidadãos e

   houve 4 (quatro) falhas.

Os media durante dias bateram nas 4 (quatro) teclas. O governo também.

  Torre.jpg       

Nesta tragédia morreram, infelizmente, quatro cidadãos mas não por causa daquelas quatro falhas. Morreram porque, de acordo com o relatório de inquérito, o embate da aeronave com um poste metálico de transmissões, com 66 metros de altura colocado no alto do monte, foi violentíssimo.

Houve um violento embate. Porquê?

O tema não foi explorado mas apenas abordado com alguma relutância e parcialidade quando, há falta de melhor (foi o que me pareceu), se duvidou da existência de iluminação do topo da torre.

Houve uma alteração do plano de vôo do helicóptero (pedida pelo piloto) sem o qual qualquer aeronave não pode cruzar os céus.

Mau grado as muito más condições atmosféricas, com cerrado nevoeiro e chuva, essa alteração foi autorizada. Houve uma redução da altitude do vôo para 1500 pés (cerca de 495 m).

Se a este valor for deduzida a altura da torre com cerca de 200 pés, restam 1300 pés.

  Queda.jpg      

Qual a altitude da crista do monte? É inferior a 1300m ou superior? Se for superior, a possibilidade de um embate numa trajectória que inclua a torre é elevada.

Por outro lado, foi com muita naturalidade que se afirmou que naqueles locais é habitual a perda de controlo pelos radares. Poderá ser habitual mas não é aceitável de um ponto de vista da segurança. Estes dois pontos que, na minha opinião, são relevantes falhas de segurança não foram objecto de qualquer análise.

É aceitável para uma correcta informação?

É aceitável numa garantia global de segurança?

Julgo que não. 

 Destroço.jpg

 

       

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por alea às 20:58


Pág. 1/3