Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Na nuvem do acaso

Quase nada de um pouco de tudo.



Quarta-feira, 23.11.16

Trapalhadas e Trumpalhadas

 

“Portugal está claramente a deixar a crise económica para trás (...) está a recuperar, está a reformar, a Comissão Europeia estará ao seu lado neste caminho “ (Pierre Moscovici, Comissário Europeu dos Assuntos Económicos).

“Portugal está a mudar, eu sempre disse que era uma mudança lenta, demorava tempo e não era igual para todos, mas que está a mudar, está a mudar” (Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República).

1320511359942.jpg

Um já manifestou muito recentemente dúvidas em contrário quando da questão dos fundos estruturais e da aplicação de sanções resultantes da situação económica portuguesa.

O outro, o “sempre disse”, o “eu não dizia?”, o “fala sobre tudo e sobre nada” incapaz de se manter calado, colocou galões de especialista em economia ao lado dos de reputado jurista (que é) quando se pronunciou sobre a legalidade/constitucionalidade das condições que rodeiam a nomeação dos administradores da CGD.

Mas o importante seria ter indicadores auditados, consistentes e seguros de uma recuperação económica num cenário financeiro de enorme dívida (224.000 milhões de euros em Setembro deste ano, cerca de 130% do PIB, a 3ª pior percentagem da Europa e a 5ª pior do Mundo):

http://pt.tradingeconomics.com/country-list/government-debt-to-gdp

e com juros que são os piores da Europa (3,25% versus 1,13% em Espanha e 1,29% em Itália, por exemplo).

Depois, as cabeças luminosas deste país (economistas, políticos, entre outros) dizem que sim, dizem que não, e a estratégia fica-se em negociações partidárias que continuem a garantir a viabilidade governamental.

Veja-se, como exemplo as questões que mais aqueceram o debate parlamentar (para lamentar seria o termo mais correcto): abordados princípios consistentes de uma estratégia económico-financeira? Não, nada de relevante ou de proactivo. Claro que não foram esquecidas as cruciais questões do aumento das pensões mínimas (que dá vontade de chorar) e do salário mínimo.

A tudo isto as manadas assistem envergonhadas e caladas ou triunfantes e exultantes, conforme as conveniências, mas “mainada”.

O teatro que envolve a CGD é outra trapalhada com segredos, mentiras e desavergonhadices.

E não vou referir-me aos “futeboleses” que monopolizam até à nausea a programação televisiva noticiosa, todos os dias, às mesmas horas.

Mas não é só por cá que o estupor e os estupores imperam.

Trump.jpg

No democrático EUA aconteceu o considerado improvável pelas sondagens: a odiada Hilary, embora tenha recolhido mais 2 milhões de votos, perdeu em número de representantes democratas (232) e o seu opositor republicano, com a nomeação de mais 74 representantes republicanos (306), será o próximo Presidente dos EUA. O seu ideário expresso na campanha eleitoral é verdadeiramente preocupante, tanto no que respeita à política interna como externa.

Já nomeou o senador Jeff Sessions, responsável pela deportação de imigrantes ilegais e por legislação antimuçulmana, para procurador-geral; nomeou outro declarado opositor do Islão como novo conselheiro de segurança nacional (Michael Flynn, um general de três estrelas); nomeou como novo director da CIA um membro do Tea Party, de seu nome Michael Pompeo; como seu conselheiro aparece um Stephen Bannon, responsável pelo “site” Breibart News defensor da supremacia branca. Tem, como seria de esperar o apoio da KKK.

Isto é o que sabe de certo porque boatos houve muitos, desde uma nomeação da imbecil Sarah Palin até a uma nepótica invasão (filhos e genro) dos vários gabinetes governamentais. Avizinham-se trumpalhadas.

Aqui trapalhadas, lá trumpalhadas. Mas que trampalhada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por alea às 15:17



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930


Links

Blog

  • www.metralhada.blogspot.com