Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Na nuvem do acaso

Quase nada de um pouco de tudo.



Quinta-feira, 29.11.12

O homem passou-se!

No passado dia 22 de Novembro, numa cerimónia de entrega de prémios de jornalista, o Sr. Cavaco Silva botou discurso.

Eu já o vi a subir um coqueiro e a comer deselegantemente um bolo-rei. Também já o ouvi em diversas ocasiões. É normal. O Sr. Silva (como já foi designado pelo Presidente do Governo Regional da Madeira) é actualmente o Presidente da República Portuguesa e foi durante mais de oito anos Primeiro Ministro de Portugal (XI e XII governos constitucionais). Hoje, critica o que ontem foi feito sob a sua direcção para a desgraça de Portugal. O que não é normal é que no exercício de funções daquela natureza proceda e fale “como não deve ser”.    

 Quando eu era pequeno, as palmadas e a pimenta na língua eram instrumentos educativos aplicados a miúdos maleducados. Aos “grandes”, não. Eram considerados casos perdidos.

O Sr. Presidente da República não queria ir àquela cerimónia porque sabia que teria de subir ao palco e quebrar o silêncio (disse ele). Ora, subir a palcos foi coisa que sempre ambicionou e quebrar silêncios só é censurável se forem ditas imbecilidades ou quando se exprime a convicção, também ela ignorante, de que o silêncio tem peso. Não, o silêncio tal como o ruído não é objecto da acção da gravidade (peso é o resultado dessa acção).

Admita-se, no entanto que existe um cavaco que descobre o peso do silêncio. Qual a sua unidade? Sendo uma força a sua unidade é o Newton e não a onça, como qualquer um sabe. A onça é uma unidade de medida inglesa de massa que pode ter dois valores diferentes conforme a natureza dos objectos: “avoirdupois” (objectos em geral, 28,349523125 gramas) e “troy” (metais e pedras preciosos e medicamentos, 31,103478 gramas).

O Sr. Cavaco Silva acertou na equivalência da unidade de massa, mas ukékiço tem a ver com a TSU (soletrada ou não)? E que nos interessa a cotação do ouro se ninguém sabe a massa do silêncio e, portanto, a massa do silêncio presidencial?

Se o silêncio tivesse a massa de um elefante, o silêncio de um elefante com 10 toneladas  valeria em euros, à cotação de 22 de Novembro de 2012 (atente-se) e de acordo com os dados presidenciais, 10 milhões de gramas x 1730 USD / 31,103478 x 0,7732 = 430 milhões.

Ora, há aí tanta besta que não fala que a informação presidencial é um interessante instrumento para a redução da dívida pública. É pô-los todos a falar. Mesmo que sejam besteiras.       

Depois, o senhor declarou que boa parte da população portuguesa acha que ele está a reflectir durante o seu silêncio (foi o que ele disse). Deus queira que ele não reflicta tanto como fez em relação à agricultura, às pescas, à indústria nos tempos em que era Primeiro Ministro.

“O silêncio é de ouro” (silentium est aurum) é parte de um provárbio antigo: “a palavra é prata e o siêncio é ouro”. Neste caso é caso para se dizer que “mais valia estar calado” (superfluo valorem silere), outro provérbio. Mas, é melhor ler um extracto das “reflecções” do venerando Chefe do Estado (é o estado em que ele se encontra):

"Até aqui, boa parte dos portugueses pensava que o Presidente da República estava a meditar, a refletir sobre a próxima visita a Portugal da senhora já bem conhecida de todos, amada por muitos, a que carinhosamente os portugueses chamam de troika, outros estariam a pensar que o Presidente da República estava a refletir sobre se o aumento de impostos era enorme ou gigantesco, outros pensariam que o Presidente da República estava a refletir sobre os novos apoios que a chanceler Merkel podia trazer para Portugal na sua próxima visita ao país e outros poderiam estar a pensar que o Presidente da República estava a refletir sobre o que fazer relativamente às pressões de vinte corporações e mais de cem individualidades para que ele enviasse o Orçamento do Estado para o Tribunal Constitucional (...) Outros estariam a pensar que o Presidente estaria a refletir sobre o consenso político que foi possível estabelecer entre as forças políticas do arco da governação sobre a forma de realizar a reforma das funções do Estado, outros podiam estar ainda a pensar que o Presidente estava a refletir sobre se a transmissão televisiva dos jogos de futebol em canal aberto fazia ou não parte da definição de serviço público de televisão (...) esperar que a Caixa Geral de Depósitos nos ofereça um jantar que seja condizente com os tempos que vivemos e eu não possa ser acusado de estar aqui por uma qualquer guloseima (...) se forem inquiridos digam que eu estive aqui mas não disse absolutamente nada, e que eu me comprometo a não colocar qualquer post sobre o assunto na minha página do Facebook, deixo, por isso, antecipadamente o meu muito obrigado a todos".

Ler mais em:

http://expresso.sapo.pt/cavaco-ironiza-sobre-comentarios-acerca-do-seu-silencio=f768982

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por alea às 15:55



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930


Links

Blog

  • www.metralhada.blogspot.com